domingo, 19 de fevereiro de 2017

IDENTIFICAÇÃO
     a)    Turma: 5º ano            
     b)   Disciplinas envolvidas: Língua-portuguesa
     c)    Conteúdos: Produção textual; leitura; oralidade;
combate á dengue.

OBJETIVOS GERAIS:
Compreender globalmente o texto lido, identificando o tema central, sendo capaz de localizar informações explícitas e de inferir informações implícita e explícitas, inter-relacionando essas informações no processo de compreensão e de produção.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
·         Identificar a adequação do uso da língua escrita em veículos diferentes; 
·         Desenvolver a síntese; 
·         Utilizar recursos coesivos; 
·         Produzir textos narrativos;
·         Ler e escrever diversos tipos de textos em situações comunicativas específicas;
·         Conhecer características discursivas e comunicativas desse gênero;
·         Revisar os textos produzidos com a ajuda do professor;
·         Refletir sobre a linguagem.

DESENVOLVIMENTO METODOLÓGICO:
Iniciar a aula realizando a leitura do texto em anexo (Anexo 1), após a discussão oral com a turma a respeito da situação de nosso município frente ao combate a dengue e ao papel da população na eliminação dos focos do mosquito os alunos receberão cópias da história em quadrinhos (Anexo 2), para que a partir dela sejam produzidos textos narrativos.

RECURSOS DIDÁTICOS:
·         Textos de apoio, caderno de produção e lápis grafite.
REFERÊNCIAS:
http://www.aprenderebrincar.com/2016/02/cartaz-como-evitar-dengue-turma-da-monica.html

AVALIAÇÃO:
Observar a participação dos alunos nas discussões. Em relação à escrita, observar se os alunos planejam e articula os acontecimentos em uma sequência temporal, se usam palavras, expressões e recursos (como a pontuação) de forma a deixar os textos bem escritos e interessantes a fim de proporcionar boas leituras. Também analisar os procedimentos de revisão.
ANEXO 1:


TEXTO PARA LEITURA:

Londrina entra em estado de alerta para a infestação da dengue

Pesquisa apontou que 10 em cada 100 casas têm focos do mosquito.
Secretaria de Saúde vai intensificar ações para impedir epidemia.

20/01/2015

O primeiro Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2015 em Londrina, no norte do Paraná, apontou um índice de 10,1% de infestação da dengue no município. Os números foram divulgados nesta terça-feira (20), e indicam que 10 em cada 100 casas visitadas apresentaram focos do mosquito transmissor da dengue. A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza que o índice de infestação não pode ser superior a 1%.
O levantamento foi realizado entre os dias 5 e 9 de janeiro. Em 2015, a Secretaria Municipal de Saúde registrou 65 notificações de dengue, com um caso confirmado. O último LIRAa realizado em Londrina foi em outubro de 2014, com índice de infestação de 1% nos domicílios inspecionados. Já em janeiro de 2014, o índice registrado pelo LIRAa apontou 7,4% de infestação.
De acordo com o secretário municipal de Saúde, Mohamad El Kadri, os altos números foram influenciados pelo clima. “Neste ano tivemos mais chuvas e está mais quente. Em outubro [de 2014] o nosso Lira estava em 1%, número razoável. Mas, agora com essa temperatura em elevação e chuva, o índice aumentou bastante”, avalia.
Entre as regiões, o maior índice de infestação foi registrado na zona norte da cidade, com 11%. A região central teve 10% de infestação, enquanto nas outras áreas o LIRAa apontou 9% de infestação do mosquito transmissor da dengue.
El Kadri informou que os números preocupam, e que medidas serão tomadas a partir desta quarta-feira (21) para evitar um risco de epidemia na cidade. “Todos os anos nós corremos esse risco pelo fator climático. Vamos intensificar a retirada de lixos e verificar a água que se acumula em vasos de plantas. Neste ano, encontramos muitos criadouros nos pratinhos dos vasos, algo que não ocorreu em todo o ano de 2014”, diz o secretário.

ANEXO 2






















Nenhum comentário:

Postar um comentário